sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

ESPECIAL: 50 MELHORES MÚSICAS DE 2012


O fim do ano é aquela época onde objetivamos tudo aquilo que não conseguimos fazer no ano que se despede. É o tempo de colocar no papel todas as coisas ainda por fazer e dar boas vindas com aquele gostinho de coisa nova. Também é o momento de fazermos uma retrospectiva daquilo que foi ou não proveitoso no ano. 2012 não poderia ser diferente para nós, claro. Foi um ano realmente bom na música, tanto em lançamento de discos quanto para estréias incríveis que prometem se destacar em 2013. É aqui que entramos com nossas listas de fim de ano, apresentando os discos que marcaram presença nos ouvidos e nas playlists de todo mundo.

 A próxima lista trata das 50 faixas que marcaram o ano para o Pick Up The Headphones. A maioria das canções mencionadas abaixo foram postadas ao longo de 2012 no blog, e se destacaram (de alguma forma) para os nossos leitores. Vale ressaltar que o nosso blog se mantém pela atualização diária de novas músicas que surgem todo o dia na internet. Devido a isso, nada mais justo que selecionar as 50 melhores músicas que já passaram por aqui. Também vale ressaltar que este é, acima de tudo, um blog pessoal e que reflete a nossa opinião. Se você acompanhou nossa trajetória neste ano, talvez conheça muito bem os nossos favoritos abaixo. Apaixonem-se!

 01  WOODKID » RUN BOY RUN

Run Boy Run - Single / Green United Music

A faixa começa com uma introdução parecida com "Iron", porém menos exuberante e mais frenética como gostaríamos de ouvir. Sua produção traz uma atmosfera fantasmagórica com direito a sinos e percussão pesada que nos lembra um batalhão de choque. Diante de toda seriedade, violinos surgem para cortar o clima tenso durante a ponte da canção. O que ouvimos é uma excelente trilha sonora de um clássico do cinema, daqueles inesquecíveis. (leia mais)

 02  MAJOR LAZER » GET FREE (FEAT. AMBER)

Get Free - Single / Downtown Music

Cortejada por batidas leves e irregulares, a track traz os vocais audaciosos e potentes de Amber Coffman dos Dirty Projectors. O destaque, porém, fica à cargo da produção despojada, carregada de loopings e uma atmosfera soft-reggae deliciosa em contraste com os vocais da moça. Sob o desejo de ser livre e fazer coisas que sempre quis, Amber entoa o belíssimo refrão como apelo para a sinceridade em troca de liberdade para sempre. Talvez a faixa funcione com um refrão mais animado e dançante para fazer jus à composição. (leia mais)

 03  M.I.A. » BAD GIRLS

Bad Girls - Single / Interscope Records

"Bad Girls" foi produzida por Danja, produtor norte-americano que já trabalhou com Nelly Furtado, Britney Spears, Missy Elliot e Madonna. Com a mesma vibe das músicas de Arular (2005) e Kala (2007), a faixa mantém o estilo urbano característico de suas produções e arrisca com um refrão simples e fácil de decorar: "Live fast, die young. Bad girls do it well". Comprovando suas tradições, a faixa também apresenta samples de músicas árabes antes ouvidas em "Jimmy". (leia mais)

 04  KATE BOY » NORTHERN LIGHTS

Northern Lights - Single / IAMSOUND Records

"Northern Lights" possui uma introdução arrepiante com riffs de guitarras e batidas pop envolventes. Logo nos primeiros versos, podemos perceber a grandiosidade das suas inspirações - soando de primeira como um The Knife mais atemporal, porém logo no refrão percebemos que a sua música tem mesmo aquele gostinho das produções nórdicas, como é o caso de Niki & The Dove. O refrão não nos deixa na dúvida do seu brilhantismo ao cantar em alto e bom tom "Tudo que tocamos se transforma em ouro!". Em meio aos sintetizadores e as batidas pop borbulhantes, Kate Boy dá um tiro certeiro e transforma o electropop em uma verdadeira celebração da música sueca. Se antes nós acreditávamos nos artistas vindos da Suécia, agora nós temos a certeza que eles merecem a nossa admiração. (leia mais)

 05  ALUNAGEORGE » YOUR DRUMS, YOUR LOVE

Your Drums, Your Love - Single / Universal Music

Se a produção dubstep ficou evidente em "You Know You Like It", imagine adicionar batidas abafadas e densas dando ar de canção trip-hop que tanto fez sucesso nos anos 90. Para quem quer alguma comparação, o duo traz a mesma pegada que o SBTRKT e Katy B tem feito nos seus discos. A docilidade do vocal de Aluna é meigo, sexy e envolvente do início ao fim - resultando em uma canção pegajosa que ao mesmo tempo soa futurista e contemporânea. (leia mais)

 06  MYKKI BLANCO » WAVVY

Wavvy - Single / UNO NYC

"Sempre tentei ser uma pessoa artística, desde muito cedo, mesmo antes de ir para Nova Iorque, e só faço aquilo na qual me sinto bem. Que, felizmente, é um bocadinho de tudo", disse em uma recente entrevista para uma publicação portuguesa. Ao invés das rimas sobre fortuna, fama e mulheres - temas batidos do hip hop mainstream dos dias de hoje - ela apresenta a verdade por trás da homossexualidade em composições autorais. Cultivando um estilo próprio, - ora andrógino, ora travesti - Mykki Blanco diz que seu estilo não influencia nas suas músicas e que isso realmente não a importa. O seu verdadeiro objetivo é fazer as pessoas dançarem. (leia mais)

 07  ELLIPHANT » DOWN ON LIFE

Down On Life - Single / bigger SPLASH Records

"Down On Life" pode não ter a mesma produção frenética e raivosa de "In The Jungle", mas ganha nossos corações pela excentricidade e diversidade de sua produção - um dancehall delicioso com direito a refrão bem afinado e com uma estranha reflexão. A produção conta com sintetizadores eletrônicos, batidas reggae e um refrão grudento que fará você cantarolar os versos desta deliciosa faixa por algumas horas. Na sua apresentação ela diz ser uma prole de M.I.A. e Diplo, mas "Down On Life" cai para o lado mais pop da sua música - chegando a ser comparada com Rihanna em "Man Down". Talvez seja uma comparação ousada e desnecessária para apresentar uma nova e talentosa artista, mas se você não ficou interessado com os dois primeiros singles da moça, aconselho dar mais uma chance ao seu talento clicando no player logo abaixo. (leia mais)

 08  GRIMES » OBLIVION

Visions / 4AD

"On her breakthrough single, electro-pop savant Claire Boucher drops sugar-dust vocals over a thwunking synth loop, sounding perfectly dreamy until you listen to the words: "I never walk alone after dark. . . . /Someone could break your neck/Coming up behind you and you'd never have a clue." The catchiness only makes it creepier". (Rolling Stone) (veja o clipe)

 09  PASSION PIT » I'LL BE ALRIGHT

Gossamer / Columbia Records

A faixa mantém o clima dançante e alegre ouvido no primeiro disco Manners (2009). Sob vocais em falseto, ainda investem em refrões pegajosos e instrumentações melódicas bem no estilo "Sleepyhead". Os sintetizadores também marcam presença nesta nova canção, tudo para criar expectativas de um disco realmente bem feito. (leia mais)

 10  TWIGS » WEAK SPOT

Twigs EP / UNKNOWN LABEL

Quando a gente pensa que 2012 não pode trazer mais nenhuma novidade, eis que surge a britânica Twigs com uma nova proposta na música eletrônica. Como dito por alguns sites por aí, a moça é tratada como a versão feminina de James Blake e sua música é uma mistura entre Grimes e The Weeknd. "Weak Spot" é uma das canções mais deliciosas de todo o trabalho. É quase difícil ouvir a canção e não lembrar de outro grande nome da música eletrônica: Massive Attack. A faixa traz uma produção minimalista deliciosa e ao mesmo tempo envolvente e sedutora. (leia mais)

 11  ELLIE GOULDING » FIGURE 8

Halcyon / Polydor

"Figure 8" começa pequena com um piano timido e alguns "yeah-yeah-yeah", mas é no refrão que a sintonia acontece: "Eu persegui o seu amor insistentemente, preciso de você mais do que posso suportar. Você me prometeu o 'para sempre' e um dia você decide me tirar tudo", canta Goulding em desabafo. Com uma produção dubstep (que nos lembra os trabalhos de Skrillex), a canção é um tiro certeiro em nossos corações.  (leia mais)

 12  SCISSOR SISTERS » LET'S HAVE A KIKI

Magic Hour / Polydor

"Let's Have A Kiki" é uma faixa pop grudenta no melhor estilo GAYNESS. Entre o refrão fácil e repetitivo, duas Drag Queens trocam mensagens por caixa postal enquanto Ana Matronic explica o verdadeiro sentido de Kiki: "A Kiki is a party for calming all your nerves. We're spilling tea and dishing just desserts when they deserve", ou seja, um encontro para relaxar e falar mal de alguém enquanto tomam chá. (leia mais)

 13  MIIKE SNOW » PADDLING OUT

Happy to You / Universal Republic Records

"Paddling Out" também nos remete à produção de "Devil's Work", uma vez que o piano frenético e os vocais marcantes de Andrew Wyatt estão cada vez mais previsíveis. Uma boa surpresa para quem esperava algo maior do que a primeira faixa é que a marca registrada dos caras ainda persiste: composições com refrão fácil e ritmo dançante misturadas com aquela sensação de sair cantarolando Miike Snow pelas esquinas. (leia mais)

 14  SANTIGOLD » GIRLS

Girls: Original Soundtrack

O mais recente disco de Santigold, Master of My Make-Believe, pode não ter sido um dos melhores álbuns do ano, mas ganha pontos pela ótima escolha dos singles até o momento. A rapper soa diferente dos primeiros trabalhos lançados em 2008, mas "Girls" ganha nossa admiração pela produção regada aos synths que deram destaque à sua estréia. Se a canção fizesse parte do disco, talvez o tornaria mais agradável. A faixa foi gravada especialmente para o seriado americano de mesmo nome e soa como uma versão mais pop e descontraída da cantora. (leia mais)

 15  STRANGE TALK » FALLING IN LOVE

Falling In Love - Single / Sony Music Entertainment

"Falling In Love" mantém a composição cativante com refrão fácil antes ouvida nas músicas anteriores, mas aqui traz o seu diferencial maior - talvez para o bem ou para o mal, na opinião de alguns fãs. Se antes estávamos acostumados à ouvir uma banda em plena formação musical (ganhando comparações com Monarchy, Passion Pit e Yeasayer), agora podemos conferir uma nova e grandiosa canção dos rapazes investindo seu lado mais dançante como carro-chefe do novo trabalho. A produção da faixa nos lembra, logo nas primeiras execuções, os principais hits de M83 e The Sound Of Arrows - porém fiquem à vontade para concluir o que quiserem. Apesar da mudança, eles não fazem feio e dão uma nova cara à cena indie underground e nos deixam na curiosidade sobre seu primeiro disco. (leia mais)

 16  HERCULES AND LOVE AFFAIR » RELEASE ME

DJ Kicks by Hercules and Love Affair / !K7 Records

Batizada de "Release Me", a música é a terceira faixa da compilação que traz Andy Butler na capa. A canção foi escrita pelo frontman da banda com a amiga DJ Whitney Fierce e a proposta era dar o toque anos 90 à produção da faixa, criando aquela vibe disco que tanto abriu portas para o Hercules and Love Affair. O vocal também fica por conta da DJ e a música foi criada a partir de samples antigos, o que deixou ainda mais original diante de tudo que ouvimos na música eletrônica da atualidade. (leia mais)

 17  ELECTRIC GUEST » TROUBLEMAN

Mondo / Downtown

"É apertar o play para que uma das melodias mais bonitas e uma das letras mais poéticas do ano infectarem seu cérebro, graças a arranjos meticulosamente programados como órgãos de igreja, violões, guitarras e inúmeros detalhes que só aparecem com audições repetidas. O adorável refrão aparece sempre que pode, mas um solo de guitarra em sua metade dá o tom para o segundo ato da canção, que inesperadamente, soa como uma música totalmente diferente, onde o título da faixa é finalmente revelado. Com baterias, backing vocals, harmonias vocais e a mesma produção espetacular do Danger Mouse, a segunda metade eleva a faixa de uma viagem esotérica e cansativa que poderia acabar soando para um pop de conteúdo que, por que não, poderia muito bem ser tocada nas rádios. No final, para surpresa, as cordas são amarradas e o refrão da primeira parte retorna, fechando seus nove minutos com mais um solo de guitarra, numa faixa que nos obriga a senti-la e experencia-la". (Luis F. Salvador, Oh My Rock) (ouça a faixa)

 18  CALVIN HARRIS » SWEET NOTHING (FEAT. FLORENCE WELCH)

18 Months / Sony Music

Depois do remix da canção "Spectrum", de Florence + the Machine, criado por Calvin Harris, muitos poderiam prever como seria o mais novo single do DJ e produtor do momento. Como em "We Found Love", o produtor repete sua mágica em uma canção melancólica apoiada na produção electrohouse que tanto tem feito trilha nos clubes do mundo todo. O videoclipe de "Sweet Nothing" foi dirigido por Vincent Haycock, o mesmo responsável por "Let's Go", o curta conta com a participação de Florence Welch, que interpreta uma cantora cheia de segredos. (leia mais)

 19  ALT-J » FITZPLEASURE

An Awesome Wave / Infectious Music

Formado por Gwil, Joe Newman, Gus Unger-Hamilton e Thom Green, a banda Alt-J foi formada em 2007 quando ainda estavam na universidade na cidade de Leeds. O tempo de convivência e a intimidade proporcionaram um clima confortável e criativo para decidirem qual seria o rumo da banda. Durante os cinco anos de existência, foram atualizando suas redes com canções que iam compondo gradativamente, porém o diferencial estava na mistura de estilos. Rompendo as barreiras das definições de gênero, o Alt-J mistura vocais em falsete, hip hop, elementos eletrônicos, guitarras melodiosas em uma atmosfera moderna e atemporal. "Fitzpleasure" é uma canção indie pop deliciosa que evoca as mais belas inspirações na arte do belga Wim Delvoye. (leia mais)

 20  PUNKS JUMP UP & DUBKA » FEELS GOOD (FEAT. SAINT SAVIOUR)

Feels Good EP / Kitsuné

Formado pelo londrino Joe Attard e pelo sueco David Andersson, o Punks Jump Up é um dos projetos eletrônicos mais interessantes da atualidade. Fazendo música deste 2004, eles são responsáveis pelos remixes mais desejados da cena pop e alternativa. O mais recente trabalho da dupla chama-se "Feels Good", faixa que traz a parceria do produtor britânico Martin Dubka e da colaboração vocal de Saint Saviour (ex-Groove Armada). À primeira escuta, a faixa parece resgatar algum hit do ABBA com vocais característicos e composição positiva que remete às coisas boas da vida. A produção conta com aquela pitadinha de electrorock em uma base de algum sucesso dos anos 90. Se a disco house tem algum hit de verão insano, este pode facilmente preencher os requisitos. (leia mais)

 21  WALK THE MOON » TIGHTROPE

Walk The Moon / Sony Music

Se você estava procurando ouvir alguma coisa realmente boa durante as próximas semanas seguidas, recomendamos muito esta banda de Ohio chamada Walk The Moon. Eles não são novatos na música underground, começam a carreira em meados de 2009/2010 com o lançamento do primeiro disco chamado I Want! I Want! - que não vingou muito bem na época. Ano seguinte lançaram a canção "Anna Sun" como uma das primeiras composições após contrato com a RCA Records. A faixa entrou para a lista das '30 canções que você deve ouvir neste verão', da Esquire, em 2011. Logo após a MTV passou a exibir o seu clipe e a faixa foi tema de um famoso seriado da TV. Com uma produção animada e divertida, típica canção indie rock que arrebata seguidores de forma instantânea, a canção "Tightrope" é uma dessas canções que você irá colocar no repeat. (leia mais)

 22  ALPINES » GOT ME WRONG

Early Hours EP / Untrue Records

A primeira vez que ouvi falar dos britânicos Alpines foi através deste vídeo. De lá pra cá acompanhei meio que indiretamente o trabalho desses dois, porém o mais recente single fez com que eu percebesse a grandeza de suas músicas. Para começar, eles acabaram de fechar contrato para o lançamento do primeiro disco na primeira metade de 2013, porém resolveram anunciar esta novidade com o lançamento de Early Hours EP - quatro faixas que podem ser baixadas gratuitamente no site oficial da dupla. "Got Me Wrong" é o segundo single deste trabalho (confira aqui o clipe da canção "Chances") e incorpora o lado rítmico, sombrio e interessante das produções do Alpines. Esta composição é a marca registrada que permeia todo o seu trabalho, mas no recente single o clima synthpop une forças com a vibe dark wave para deixar a canção ainda mais dançante. Impossível não se admirar pela belíssima voz de Catherine Pockson, ainda mais impossível não se encantar por sua beleza. (leia mais)

 23  MELODY'S ECHO CHAMBER » I FOLLOW YOU

Melody's Echo Chamber / Fat Possum

Apontada como uma das revelações mais importantes do segundo semestre, a francesa Melody Prochet, mais conhecida como Melody's Echo Chamber, apareceu meio que repentinamente sob a ajuda do líder do Tame Impala, Kevin Parker, na produção do seu disco de estréia homônimo. Não é difícil se apaixonar pela voz desta francesinha logo nos primeiros versos do seu single de estréia "I Follow You", posso até arriscar em dizer que o seu trabalho é uma mistura da música psicodélica com o que tem surgido na música indie desde o início desta década. Podemos dizer também que o Melody's Echo Chamber é uma banda de uma garota só, uma mistura entre o som delicado do finado Camera Obscura com os acordes dos pais Tame Impala - uma combinação que deu muito certo, por assim dizer. "I Follow You" é nostálgica, brilhante, delicada e reflexiva, assim como a voz de Melody. Se há uma coisa que você deve atentar-se no trabalho dela, além da música, é o primeiro clipe da sua carreira dirigido por Laurie Lassalle: "um clipe subaquático mergulhado em uma paleta de cores psicodélicas", como a própria diretora gosta de dizer. (leia mais)

 24  JESSIE WARE » WILDEST MOMENTS

Devotion / Universal Island Records

Jessie Ware ficou mais conhecida após emprestar sua voz para canções do SBTRKT e lançar elogiados singles como parte do primeiro disco solo. Ela surgiu no meio de cantoras igualmente talentosas como Katy B e Charlie XCX. "Wildest Moments" é uma das canções mais envolventes do repertório de Jessie Ware até agora. As batidas cadenciadas ora lembram Lana Del Rey com seu mais recente Born to Die, ora lembram a potência vocal de Florence Welch. Na composição, a cantora lamenta a perda de um grande amor como se fosse um dos piores momentos de sua vida. "Talvez em nossos momentos mais selvagens poderíamos ser o melhor, poderíamos ser o maior...", canta no refrão melancólico do novo single. (leia mais)

 25  NO DOUBT » SETTLE DOWN

Push and Shove / Interscope Records

“Settle Down” mantém a mesma vibe das canções anteriores e resgatar os primórdios com um reggae pop de fazer qualquer um cair na dança! O single é o primeiro gostinho do álbum Push and Shove, primeiro disco da banda após mais de uma década sem lançar absolutamente nada novo. “Settle Down” traz seis minutos de duração e prova que a banda consegue manter o seu estilo único e ao mesmo tempo reinventar sua batida para atrair a nova geração. (leia mais)

 26  FIONA APPLE » EVERY SINGLE NIGHT

The Idler Wheel... / Epic Records

Fiona Apple quebrou o silêncio de praticamente sete anos sem lançar nenhum material novo. O novo disco da cantora foi batizado de The Idler Wheel Is Wiser Than The Driver Of The Scew And Whipping Cords Will Serve You More Than Ropes Will Ever Do, ganhando 23 palavras - título extenso como a própria gosta de fazer (vide as oito estrofes do título do segundo álbum When The Pawn). "Every Single Night" foi o primeiro single do disco e conta com a produção da própria em parceria com John Brion. Cortejada por apenas um piano e violão, a faixa é quase uma canção de ninar bonita e sentimental: "Cada noite sozinho é uma luta com minha mente, eu quero sentir tudo". (leia mais)

 27  HAPPY HANDS CLUB » CAN'T WIN THIS

Parking Lot / Luxury

Vindos de Gotemburgo, na Suécia, o Happy Hands Club é uma banda formada por sete pessoas talentosas que possuem uma afinidade entre si. Primeiramente pelo lugar de onde vem, depois pela sonoridade que transmitem nas letras e produções e o diferencial maior da sua música é, com certeza, a positividade e carísma. O nome da banda nos revela isso. Os próprios definem o teu som como uma mistura entre o indiepop, dream pop, shoegaze e eletrônico, daqueles mais experimentais possíveis. Sob uma produção sombria que permeia desde os primeiros acordes de guitarra, a faixa "Can't Win This" combina uma musicalidade indie com um "quê" de nostalgia que, obviamente, vai fazer você querer ouvir o disco inteiro dos caras! Sintetizadores analógicos, baixo, guitarras melódicas e uma percussão deliciosa fazem da canção uma das melhores lançadas neste ano de 2012. Para quem gosta de uma "comparaçãozinha", a música em questão pode ser comparada com um The xx mais feliz e disposto à novas experiências, também nos fazendo lembrar de grandes nomes da música indie como Passion Pit, Gypsy & The Cat e (em alguns momentos) Cut Copy. (leia mais)

 28  CAT POWER » CHEROKEE

Sun / Matador Records

Após seis anos desde o lançamento do último disco de inéditas (com excessão do trabalho com covers diversos), Chan Marshall aproveitou o momento difícil dos últimos anos para expôr o que sentiu durante o término do seu relacionamento. Ela mostra que ainda sabe fazer música boa com a ótima "Cherokee", canção que abre o novo trabalho. O grande lance aqui é a produção inteiramente tocada pela própria cantora, comprovando que suas raízes permanecem firmes e fortes. A canção revela os primeiros indícios do electroindie nas produções de Philippe Zdar, também responsável pela produção do novo álbum. (leia mais)

 29  ALANIS MORISSETTE » WOMAN DOWN

Havoc and Bright Lights / Collective Sounds

"Woman Down" lembra o último trabalho da cantora, em 2008, no disco Flavors of Entanglement. A produção eletrônica de Guy Sigsworth está visível nesta produção, porém combinadas a um refrão poderoso com direito a batidas histéricas e solos de guitarra pelos quase quatro minutos de duração. A composição da música traz uma mensagem reflexiva à todas as mulheres: "A próxima mulher atingida foi sua irmã, o silêncio dela realmente confirma que ela foi influenciada pelo tempo e nunca conheceu outro caminho (...) Você está disposta a recomeçar do zero?", canta Alanis. (leia mais)

 30  MIRROR TALK » CHOOSE LIFE

Choose Life - Single

A história é bem assim: ainda morando na casa dos pais, cinco amigos se conheceram por um motivo em comum - o amor pela música e pelos ícones da sua época. Foi através desse desejo que o Mirror Talk ganhou evidência como uma das revelações mais deliciosas da música synthpop. Vindos de Los Angeles, na Califórnia, conheceram o engenheiro musical do Wavves, Eric Palmquist, e um contrato para o lançamento de algumas faixas foi o resultado. Mas não pára por aí, em sua página no Facebook, a banda é ousada quando o assunto é suas maiores inspirações: New Order, Gang Of Four, Cold Cave e... BEYONCÉ! Na bagagem cultural, os anos 80 fazem sentido e refletem na produção do primeiro single: "Choose Life", uma canção explosiva e carregada de sintetizadores. A composição também é digna do seu conhecimento: "Is it true, love?", canta Court em meio à inúmeros "ohhhs". Para quem é apaixonado pelos grandes hits da new wave do passado, com certeza irá se apaixonar pelos quase cinco minutos desta canção. É uma faixa que resgata toda a essência em comum dos cinco integrantes do Mirror Talk, adicionando alguns elementos atuais. (leia mais)

CONFIRA MAIS:

31. Thomas Azier - Red Eyes
32. Voltaire Twins - Young Adult
33. Disclosure - Latch (feat. Sam Smith)
34. Holy Ghost! - It Gets Dark
35. Lulu James - Be Safe
36. Tensnake - Mainline (feat. Syron)
37. Fenech-Soler - All I Know
38. The xx - Chained
39. Icona Pop - I Love It
40. Azealia Banks - Neptune (feat. Shystie)
41. Sky Ferreira - Everything Is Embarrasing
42. Solange - Losing You
43. Young Wonder - To You
44. Little Boots - Headphones
45. Nelson Can - Troublemaker
46. Passion Pit - Take a Walk
47. The Presets - Ghosts
48. Vera Flash - Hustle
49. Elton John vs Pnau - Sad
50. A$AP Rocky & Lana Del Rey - Ridin