terça-feira, 29 de julho de 2014

WATCH | HERCULES & LOVE AFFAIR: MY OFFENCE


Andy Butler e a trupe do Hercules & Love Affair continuam a divulgação do prestigiado The Feast of the Broken Heart, que já extraiu os singles “Do You Feel The Same?” e “I Try To Talk to You” em parceria com John Grant. Eis que hoje, o produtor revelou a produção audiovisual da faixa “My Offence” – uma das melhores produções do terceiro registro do coletivo.

Com direção de Matt Lambert, o videoclipe explora o significado da palavra “cunt” entre a comunidade gay de Nova Iorque. Apesar de parecer uma ofensa, o termo simboliza toda a força e feminilidade entre os gays e viralizou como uma das palavras mais repercutidas na noite.



Foi pensando nisso que Butler e Lambert conversaram durante seis meses com artistas performáticos da noite, cujo trabalho explora a sensualidade, o sexo e palavrões durante suas apresentações. A ideia era conceituar o termo “cunt” em um documentário/videoclipe sobre a apropriação e recuperação da linguagem profana como meio de cultura.

THE TING TINGS: WRONG CLUB


O The Ting Tings marca o retorno após o (não tão bem sucedido assim) álbum Sounds from Nowheresville (2012), de singles como “Hang It Up” e “Silence”. O duo britânico vive uma frequente mudança entre um trabalho e outro, mas não perde sua essência pop diante das atualizações da indústria musical. É por causa disto que eles acabam de divulgar o single “Wrong Club”, uma deliciosa viagem pela década de 1970.



A canção é a primeira prévia do que vamos conferir no álbum Super Critical, agendado para o dia 20 de outubro através da Finca Records. A sonoridade, no entanto, é uma clara inspiração do ritmo que tanto causou neste ano: o groove malemolente do funk e da disco house setentista – muito bem representado pelo hit “Get Lucky”, da dupla Daft Punk em parceria com o Pharrell Willians.

Com uma composição cativante e cortejada pelos vocais de Katie White, “Wrong Club” é sobre você estar em uma festa errada e insistir para que alguém lhe salve. Junto com o lançamento, o videoclipe também foi revelado e traz a direção de Lisa Paclet – conhecida por seus trabalhos com Yves Saint Laurent, Dior e Kenzo.

BECKY HILL: CAUTION TO THE WIND


Becky Hill é uma cantora inglesa nascida em Bewdley e ficou mundialmente conhecida após sua participação no programa The Voice UK. Depois disso, a moça foi convidada para emprestar sua voz no icônico single “Afterglow”, do músico e produtor Wilkinson, no ano passado. Já neste ano foi o Rudimental que descobriu o seu talento e lançou a faixa “Powerless” com sua voz.

Dona de uma voz expressiva, Becky revela o primeiro single solo e faz um delicioso mergulho na música pop experimental através de “Caution to the Wind”. Influenciada pelo house da década de 90 e pela genialidade do dream pop, a canção traz as batidas sintetizadas do gênero em união com o potencial de sua voz. O resultado é uma experiência deliciosa.



O videoclipe de “Caution to the Wind” foi dirigido por Chris Bristow e Fred Rowson, que apresentaram uma brilhante animação 3D com efeito stop-motion.

WATCH | BANKS: BEGGIN FOR THREAD


Banks apresenta o single “Beggin for Thread”, uma boa surpresa para quem acompanhou o seu trabalho desde o início. Ao invés do clima intimista e quase monótono, a produção de Jesse Rogg (que já trabalhou com Sam Sparro e Sky Ferreira) e Tim Anderson (Kanye West e Miles Davis) traz a mistura do blues com o pop em um R&B dançante.

Com o disco de estreia se aproximando, a americana revela a produção audiovisual do single em parceria com o diretor Barnaby Roper, que já trabalhou com David Bowie, Kanye West e as marcas Givenchy e Karl Lagerfeld. O videoclipe traz uma produção em preto e branco, típico do seu trabalho, onde revela a sensualidade e romance embalados pela composição.

Goddess, o disco de estreia de Banks, tem data certa para sair em 09 de setembro através da Harvest Records.

ELIOT SUMNER: COME FRIDAY


O retorno de Eliot Paulina Sumner, melhor conhecida como somente Eliot Sumner (ou I Blame Coco), é uma das boas surpresas de 2014. Quatro anos após o sucesso do disco The Constant, de singles como “Selfmachine” e “Caesar” em parceria com a sueca Robyn, chegou o momento de conferir sua essência no EP Information, que revela sua segunda prévia.

“Come Friday” é um synth rock demarcado por guitarras aceleradas, batidas despojadas e os vocais inconfundíveis de Sumner. A produção surge acompanhada de uma composição de refrão viciante, que certamente vai fazer você lembrar dos primórdios da cantora. A ótima progressão de sintetizadores é a fórmula de sucesso do novo trabalho da cantora de origem italiana.

O Information EP ainda não tem data de estreia, mas conta com três faixas inéditas e, dentre elas, está a faixa-título “Information” e a (ainda não lançada) “Wobbler”.

AZEALIA BANKS: HEAVY METAL AND REFLECTIVE


Após romper contrato com sua gravadora, a Interscope Records, a rapper Azealia Banks inicia uma nova fase com base na divulgação do seu primeiro álbum – que por tantas vezes foi adiado. O início desta nova etapa em sua carreira vem acompanhado de uma das melhores produções desde o EP 1991: a faixa “Heavy Metal and Reflective”.

Através de um trap energético sob a produção de Lil’ Internet, a curta canção evidencia a sombriedade do seu trabalho em uma composição irônica e debochada sobre a fama e status. Sintetizadores eletrônicos, batidas hip hop e rimas bem colocadas potencializam a deliciosa e dançante melodia de “Heavy Metal and Reflective”.

O disco de estreia de Banks, intitulado Broke With Expensive Taste, não tem data para lançamento, mas não seria nada mal se ela começasse a vazar as faixas na internet, não é mesmo? O videoclipe do single em questão está marcado para sair em 05 de agosto.

SIR SLY: YOU HAUNT ME


Exatamente um ano após sua estreia na música, o trio californiano Sir Sly finalmente retorna às atividades para anunciar o lançamento do álbum You Haunt Me, agendado para o mês de setembro. A banda, responsável pelas ótimas “Where I’m Going” e “Ghost”, coloca em prova o primeiro single oficial de divulgação do trabalho – a faixa-título “You Haunt Me”.

A faixa é uma das primeiras composições que Hayden Coplen, Landon Jacobs e Jason Suwito escreveram no início da carreira do Sir Sly. Por causa disso, a composição traz um peso extra em sua divulgação – “É uma música sobre crescimento e fez sentir-me bem diante de toda ansiedade e insegurança”, disse o vocalista Jacobs. “É o tipo de música sobre esquecer o passado e seguir em frente. Espero que as pessoas se identifiquem”.

A produção de “You Haunt Me” revela um indie pop marcado por batidas sintetizadas e vocais positivos, muito diferente do que vinham fazendo ultimamente. Com a nova proposta, o Sir Sly se aproxima muito mais da sonoridade que o Foster The People apresentou no álbum Torches.



O álbum You Haunt Me está agendado para sair em 16 de setembro através da The Cherrytree Records/Interscope. Entre as faixas já conhecidas da banda, somente “Miracle” e “Easy Now” ficaram de fora da tracklist final do registro – será que podemos esperar uma versão de luxo com estas músicas?